Thursday, July 02, 2015

10 dicas para a elaboração do Plano de Aula

Preparar um plano de aula eficaz requer experiência e dedicação. Seguem 10 dicas que podem auxiliar os professores a elaborarem um plano de aula de acordo com os seus objetivos.

1. Por que isso é importante?

Quando você pretende ensinar alguma coisa essa é a primeira pergunta que você deve se fazer. Você deve estar pronto para responder a essa pergunta a qualquer momento, inclusive, durante a aula.

2. Qual o meu objetivo para os estudantes? O que eles devem ser capazes de fazer ao fim deste conteúdo?

Uma boa maneira de entender se um tema é ou não fundamental é planejá-lo criando objetivos para os seus estudantes, ou seja, o que você espera que eles sejam capazes de fazer ao fim daquela discussão. Compartilhe esses objetivos com os estudantes, isso é fundamental para que vocês estejam alinhados e para que eles conheçam as habilidades mais importantes.

3. Como o tema se encaixa no currículo geral?

Para criar uma aula significativa é fundamental que você conheça todas as maneiras de encaixar o conteúdo no currículo geral do estudante. Não se apegue apenas à sua matéria, vá além e identifique como o assunto tratado na sua sala de aula pode se relacionar com outras disciplinas, isso tende a incentivar os estudantes.

4. O que os estudantes já sabem sobre isso?

Procure entender como você pode ajudar os alunos a desenvolverem o conhecimento prévio sobre o assunto a ser tratado. Antes mesmo de começar a ensinar coisas novas, procure saber o que os seus alunos já sabem sobre aquilo e, a partir daí, comece a trabalhar para incrementar esse conhecimento.

5. Como eu posso despertar o interesse dos alunos?

O início de um capítulo ou unidade é o que vai garantir que os seus estudantes mantenham ou não o interesse naquilo que você está dizendo, portanto, você precisa chamar a atenção deles logo de cara. Uma boa maneira de fazer isso é procurar conexões entre o que está sendo estudado, a cultura geral e a vida do estudante. Outra opção é criar situações nas quais eles teriam de usar o que está sendo aprendido de forma prática.

6. Como eu posso apresentar esse material?

Pense em como aquele conteúdo pode ser melhor compreendido e não se mantenha preso a métodos tradicionais por medo de inovar. É fundamental que você pense nas maneiras como apresentará o conteúdo aos seus estudantes. Vá além do que o livro oferece, procure conteúdo agregado, como vídeos e apresentações, jogos e até mesmo seminários ou representações. Dessa maneira você poderá incentivar os estudantes em áreas além do que você está ensinando.

7. O que os estudantes farão durante as aulas?

Um bom plano de aulas deve prever diversas situações, inclusive o que os seus alunos farão durante as aulas. Os estudantes serão meros ouvintes ou participarão da aula de maneira ativa? Você proporá atividades práticas ou simplesmente apresentará o panorama do que está sendo tratado. Pensar no que acontecerá dentro de sala de aula é fundamental para criar atividades adequadas.

8. Como eu posso atender as necessidades de cada estudante?

Claro que toda a sala deve receber o mesmo conteúdo, mas você não pode deixar de lado as necessidades particulares de cada um dos seus estudantes. Essa problemática também deve aparecer no seu plano de aulas, ou seja, identifique quais são as principais dificuldades dos estudantes e pense em como resolvê-las. Uma boa dica é ficar atento ao tipo de aprendizado de cada um dos seus alunos.

9. Como eu posso ligar o conteúdo e a rotina dos estudantes?

Se você quer que sua aula seja significativa e relevante, faça com que o conteúdo abordado se aplique de maneira prática na vida dos estudantes. Descubra o que interessa a eles e trate de incluir suas descobertas no plano de aulas. Não se esqueça de que apenas você fazer essas conexões não é suficiente, ofereça a oportunidade de que seus estudantes também encontrem os pontos em comum.

10. Existe alguma tecnologia capaz de melhorar essa tarefa?

A vida dos estudantes basicamente gira em torno da tecnologia, com as redes sociais, pesquisas online e até mesmo grupos de estudo via Internet. Portanto, se você quer realmente chamar a atenção deles, o melhor é fazer isso no meio onde eles mais têm prática. Descubra ferramentas capazes de engajar os estudantes em experiências de aprendizado e dessa maneira eles estarão cada vez mais interessados em praticar o que você ensina.

Fonte: http://carolineluvizotto.wordpress.com

Friday, June 26, 2015

5 dicas para você conciliar trabalho e estudo

A transição da adolescência para fase adulta vem carregada de um turbilhão de emoções e responsabilidades. E se você já trabalha e sabe da importância de uma boa nota nas provas, o melhor a fazer é criar estratégias para vencer todos esses obstáculos e alcançar um resultado satisfatório ao final.

Concentração
O uso de redes sociais facilita o contato com amigos de longa data, atualiza os usuários sobre as noticias do mundo, e também acaba com o poder de concentração de quem tem outras atividades a realizar. Esqueça o celular, não abra o Facebook durante as rodadas de estudo, desligue a mente dos problemas profissionais e pessoais e foque nos estudos para absorver o máximo de conteúdo possível.

Tecnologia como aliada
Se qualquer matéria não ficou clara para você, é possível utilizar Youtube para assistir aulas com diferentes abordagens. Além disso, você pode filmar aulas, caso faça cursinho, e assisti-las em casa depois com mais calma e atenção.

Assista a noticiários, saiba o que está acontecendo no mundo, pois qualquer informação é recurso para compor uma redação coesa e coerente.

Organize grupos de estudo
A união faz a força! Chame seus amigos, organize rodadas de estudo em bibliotecas, aproveite o ambiente propício e esclareça todas as dúvidas que surgirem.

Além de tudo isso, existe material disponível para sanar todos os questionamentos, além de reviver o passado, folhear um bom livro sempre remete a boas sensações, e se você não for dos que usam livros físicos, as bibliotecas disponibilizam computadores para uso, ou então wifi para uso de seu próprio computador.

E a desculpa não é o lugar, grupos de estudo podem ser formados em casa, na praça perto de casa, o que importa é compartilhar conhecimento e multiplicar sabedoria.

Descanso
Permita-se dormir 8 horas por dia, os momentos de repouso são fundamentais para concluir essa maratona estressante.

Quando deitar, desligue o celular ou deixe-o no modo silencioso, evite responder mensagens instantâneas, e não caia no truque soneca, prolongando o sono e quebrando todo o ritmo. O melhor é acordar no primeiro toque, tomar um banho e se for o caso, aproveitar as propriedades da cafeína tomando um bom e revigorante café.

Organize seu tempo
O dia tem 24 horas, parece bastante, mas quando não há planejamento, é possível desperdiçar suas horas sem concluir nenhuma atividade com êxito. Programe os períodos de estudo, com intervalos a cada 2 horas, isso aumenta o rendimento, e finais de semana também são feitos para descansar, insira lazer em sua rotina para que não ocorra uma pane! Dedicação é fundamental, e saúde mais ainda!

Traçadas as diretrizes, agora é montar sua estratégia levando em conta suas particularidades.

Gisele Helena

Saturday, June 20, 2015

13 dicas para se concentrar na hora de estudar

Nosso cérebro é meio fanfarrão: na hora de pensar em estratégias para aquele jogo complicado de videogame ou de ler aquela revista que você adora, ele coopera facilmente. Mas quando é preciso sentar e estudar um pouco, parece não haver jeito de alcançar a concentração.

Isso fica ainda mais desesperador quando estamos em ano de vestibular e não temos tempo a perder. Para ajudar você nisso, segue 13 dicas para ajudar seu cérebro a se concentrar.

Não se contente em ler: escreva!
Segundo o professor e autor de livros com dicas para estudos Pierluigi Piazzi, é importante estudar escrevendo, e não só lendo. “Quem só lê perde a concentração. Quem escreve consegue entender o assunto e mantê-lo na mente”, explica ele.

Escreva à mão em vez de digitar
Pesquisas já mostraram que os alunos que fazem isso aprendem mais do que quem só digita. “Você tem movimentos totalmente distintos para escrever cada letra a mão, mas isso não existe quando você está digitando. Isso faz com que mais redes neurais sejam ativadas no processo da escrita”, diz o professor.

Como saber o que vale colocar no papel
Faça resumos, fichamentos e esquemas da matéria. Mas nada de ficar copiando todo o conteúdo dos livros. Para saber o que vale escrever, faça de conta que você está preparando uma cola para uma prova. Por ter pouco espaço e pouco tempo para consulta-la, é preciso ser conciso, mas ao mesmo tempo abordar os pontos principais. É disso que você precisa quando for estudar.

Revise a matéria que aprendeu em aula no mesmo dia
Além de evitar acumular matérias, estudar o conteúdo visto em sala de aula no mesmo dia fará com que seu cérebro entenda que aquilo é importante e o memorize.

Estude sozinho
Vamos combinar que, por mais legal que seja se reunir com os amigos para estudar, você acaba falando mais de outras coisas e as dúvidas permanecem. O professor Pierluigi é um grande defensor da ideia de que só se aprende mesmo no estudo solitário. “Estudar em grupo é útil se você for a pessoa que explica a matéria para os outros. Quem ouve não aproveita”, diz ele. A melhor dica para um bom estudo, aliás, e explicar a matéria para si mesmo.

Use as aulas para entender as matérias e tirar dúvidas
Um erro comum, segundo o professor Pierluigi, é fazer dois cursinhos para ter um maior numero de aulas – o que realmente vai fazer diferença no vestibular é o momento em que você estuda sozinho, não o número de aulas que pegou. Mas isso não significa que vale cabular ou dormir nas aulas: elas são importantes para entender a matéria e tirar dúvidas.

Desligue todos os aparelhos eletrônicos.
Na hora de estudar, nada de deixar o celular por perto avisando você de cada notificação no Facebook. E nem caia na tentação de abrir o Facebook só por “dois minutinhos”. Esses dois minutinhos sempre se estendem e acabam com toda a sua concentração. Reserve um tempinho do seu dia só para as redes sociais e faça isso virar rotina para que se acostume a checá-la apenas nesse tempo específico.

Estude em um local organizado e tranquilo
O resto da sua casa até pode ser uma bagunça, mas o local onde você costuma estudar precisa estar sempre organizado e silencioso. Ter muitas coisas espalhadas pode atrapalhar a sua concentração e há o risco de perder tempo procurando coisas que sumiram na bagunça.

Música? Só em línguas que você não entenda
Não é proibido estudar ouvindo música – há quem precise dela para se concentrar. Mas evite ouvir músicas em idiomas que você entenda – isso pode fazer com que você desvie sua atenção para a letra e esqueça a matéria.

Use marca-texto
Usar canetas coloridas e marca-texto para enfatizar os pontos principais é uma boa ajuda para manter o foco no que for importante, especialmente se você tem problemas mais sérios de déficit de atenção. Post-its também podem ser úteis.

Respeite seu tempo
Se você é mais produtivo de manhã, deixe para estudar as matérias mais difíceis nesse período. Quando sentir que a concentração não está rolando de jeito nenhum, faça uma pequena parada e depois volte. Manter intervalos regulares é fundamental – e a frequência vai depender do seu ritmo.

Tenha uma programação organizada, mas seja flexível
Use uma agenda ou quadro branco para organizar suas tarefas e respeite-a! Mas faça programações realistas para que você não se desanime. Definir que você vai estudar durante oito horas por dia se você tem várias outras atividades, por exemplo, não é algo razoável. E esteja aberto para mudanças, caso seja necessário.

Crie um pequeno ritual antes de estudar
Sempre que for mergulhar nos estudos, crie e respeite um ritualzinho antes. Pode ser um alongamento, pegar um copo de suco para deixar na sua mesa, ou que mais achar melhor. Com o tempo, seu cérebro vai entender que é hora dos estudos e ficará mais fácil se concentrar.

Postado por: Redação Em: Estudantes

Monday, June 15, 2015

10 dicas para aumentar o rendimento nos estudos

Aumentar o rendimento dos estudos significa, basicamente, ensinar o cérebro a assimilar conteúdos e não apenas decorá-los. Isso engloba desde manter uma vida equilibrada a exercitá-lo cotidianamente, com leituras e resolução de problemas simples. É importante lembrar que nosso corpo funciona como uma máquina em que todas as engrenagens precisam funcionar em sintonia para que o resultado final seja positivo.

Por isso, ao treinar o cérebro para assimilar mais conteúdos, não esqueça de cuidar do corpo, fazendo atividades físicas e que lhe dão prazer. Não é porque você está se dedicando aos estudos para uma prova de concurso que precisa abrir mão da vida social com os amigos, afinal, divertir também faz parte das técnicas para aumentar o rendimento nos estudos.

Confira algumas dicas para aumentar o rendimento nos estudos

1 – Exercite o cérebro
A mente humana esquece 50% do que lê em apenas duas horas. Isso significa que não adianta ler muito, é preciso ampliar o foco. Para isso concilie a informação que se leu com algum interesse do seu cérebro.

2 – Duas horas de estudo
Mantenha o foco em uma disciplina por vez. O ideal é que você se dedique a apenas uma matéria, pelo menos, duas horas por dia. Se o concurso que você irá fazer exige conhecimentos em língua portuguesa e matemática, o ideal é que todos os dias você treine pelo menos duas horas em cada matéria.

3 – Não decore
A mente esquece tudo aquilo que decoramos. Ao invés de decorar, assimile o conteúdo e aprenda a armazenar conteúdos para que eles se fixem por um maior tempo.

4 – Organize-se
Ninguém consegue estudar em meio ao caos. Organize seu ambiente de estudo e procure em estudar em ambientes em que sua atenção não será desviada para outras atividades.

5 – Aqueça o cérebro
Assim como quando você vai para a academia seu corpo precisa de meia hora de aquecimento, antes de encarar a maratona de estudos, seu cérebro precisa passar pelo mesmo processo. Para aquecer o cérebro, faça leituras que possam ajudar na resolução de pequenos problemas, como textos sobre a base da língua portuguesa ou sobre os princípios básicos da matemática.

6 – Anote
Ao estudar tenha o hábito de anotar tudo aquilo que lhe parece importante, ao final, faça um resumo sobre as ideias centrais das matérias estudadas.

7 – Mantenha a qualidade de vida
De nada adianta virar noites sem dormir. Isso não contribui para a assimilação do conteúdo. Por isso, durma ao menos oito horas por noite, pratique atividades físicas, saia com os amigos, tenha uma alimentação saudável e afaste os vícios, como cigarro, bebidas e até mesmo o popular cafezinho, que pode causar insônia quando consumido muitas vezes ao dia.

8 – Estude com antecedência
Nada de estudar para uma prova de concurso na véspera do exame . O ideal é a dedicação diária  para que você não se desespere na véspera da prova.

9 – Não estude de madrugada
Evite estudar no período da madrugada. Isso porque é a hora que seu cérebro possui menos concentração. Além disso, não dormir de madrugada ocasiona no excesso de sono no dia seguinte, comprometendo o rendimento.

10 – Leia nas horas vagas
Os especialistas afirmam que ler nas horas vagas ajuda no processo de assimilação do conteúdo. Mas leia com atenção para que você entenda o que está lendo e não apenas fazendo uma leitura superficial.

Saturday, June 13, 2015

PESSOAS QUE SE ATRASAM MERECEM MUITO AMOR!

Esta é a dramática (e 100% verídica) história de pessoas que vivem correndo contra o relógio. Quem está sempre se atrasando, sabe: não é por mal.
Sou dessas! Mas antes que me perguntem “Milene, você se atrasa SEMPRE?”, já respondo: não. Em compromissos profissionais, aeroportos e enterros eu chego no horário! Se você é minha cliente, já viajou comigo, ou já morreu, você sabe disso. E eu consigo esta proeza de uma forma bem simples: se eu tenho um ensaio fotográfico, por exemplo, às 14h, eu acordo às 6h da manhã e nem almoço para garantir que serei pontual. Se meu voo for pela manhã, eu já nem durmo e consigo chegar a tempo no aeroporto. Só que não é todo dia que eu posso não comer e não dormir, entendem? Então algumas vezes eu acabo me atrasando. E se você é do tipo que odeia pessoas atrasadas, eu lhe peço: nos ame <3 aqui="" atraso="" bom="" br="" cada="" conspira="" de="" e="" existe="" grande="" minutinho="" motivo="" n="" o="" para="" passa="" pois="" provar="" que="" tudo="" um="" uma="" vou="">Pra começar, pessoas que se atrasam sempre tem a boa intenção de chegar no horário. É sério. Acontece que não se trata de um simples defeito, é quase uma doença hereditária. Sim, hereditária! Se você chega atrasada com frequência nos lugares, pode ter certeza que seu pai também é assim, ou o seu avô, talvez o seu bisavô… enfim! Alguém na sua árvore genealógica tem problemas com horário e passou isso pra você! Não é culpa sua.
Mas não é apenas isso, tem mais: Pessoas atrasadas normalmente são ansiosas. O que significa que, além da questão genética, existe também uma necessidade ENORME de fazer 200 coisas ao mesmo tempo! E quem faz 200 coisas ao mesmo tempo sabe que a probabilidade de não dar tempo de terminar todas elas (ou nenhuma) é muito grande! Não adianta falar “estabeleça prioridades”, pois para quem é ansioso, tudo é prioridade! E na tentativa de realizar um milhão de tarefas você se perde no tempo! Resultado? Atraso!
Mas não é apenas isso, tem mais: Você é geneticamente atrasada, faz 200 coisas ao mesmo tempo e quando você finalmente consegue pegar a sua chave (que havia sumido!) para sair de casa, você percebe que existe um probleminha ainda maior chamado Geografia. Eu explico: sou daquelas que não sabe se localizar. Assim, não MESMO! Se você me passar um endereço e me der um ponto de referência, eu vou sorrir e agradecer por educação – acompanhado de um “aham”, mas a verdade é que pra mim não faz a menor diferença, porque EU NÃO SEI onde ficam os pontos de referência! Ou seja, não basta eu ser perdida no tempo, eu também sou perdida no espaço! Alguém pode agora estar pensando: “um GPS resolve isso!”. Só que não é apenas isso, tem mais: o GPS de pessoas atrasadas e perdidas é diferente. Ele faz coisas como atualizar a rota no meio da BR só para que a pobrezinha perca a saída e precise ir até o ACRE para fazer um retorno – e isso leva muito tempo! Se você está achando engraçado, provavelmente você sabe onde fica o Acre. Eu não. (ai gente, brincadeira! Todo mundo sabe que o Acre fica logo ali, pertinho daquele outro estado!)
Parece piada, mas não é. E sabe o pior disso tudo? É que depois de enfrentar a treva, você chega ao seu destino e ainda precisa aguentar a cara dos seus amigos te julgando por você estar atrasada! Puta mundo injusto! Pô, a gente tarda, mas não falha! Então você, que tem uma amiga linda que se atrasa 5 minutinhos, 15 minutinhos, 1 horinha… não só ame ela, como a ame ainda mais que todas as outras! Perceba o quanto você é importante pra ela, e veja que ela enfrenta TUDO ISSO só para poder te encontrar! Não faça cara feia! Receba esta pessoa com um abraço, ela merece muito amor!


de Milene da Mata 7 de agosto de 2014

Friday, June 12, 2015

As lições dos líderes mais inovadores da atualidade

Confira o que é possível aprender com grandes inovadores da nossa era para alavancar os negócios e a carreira

Grandes empreendedores são inspiração para buscarmos novos desafios e seguir seus passos. Independente se você é funcionário ou dono de uma empresa, há muito que aprender com eles.

Recentemente, estudei a vida e obra de grandes inovadores como Mark Zuckerberg (Facebook), Jeff Bezos (Amazon), Steve Jobs (Apple), Larry Page (Google) e Sergey Brin (Google), que serviram de inspiração para escrever um livro, O Time dos Sonhos da Inovação. Pude descobrir uma série de lições em comum que eles utilizaram ao longo de suas trajetórias e que compartilho aqui com vocês.

1. Não tenha medo de correr riscos
Para uma empresa como o Google, que valoriza muito a análise de dados em larga escala, pode parecer estranho correr riscos e aceitar incertezas nos projetos. Os dados são importantes para verificação da demanda e validação dos projetos piloto, mas nada disso impede que novos produtos inovadores sejam gerados e lançados, mesmo que tenha grandes níveis de incertezas. Essa abordagem já rendeu grandes fracassos para a empresa, mas também grandes sucessos.

2. A inovação não precisa ser somente nos produtos
Os grandes inovadores pensam a abordagem de modo sistêmico, vislumbrando oportunidades em diferentes partes do negócio. Quanto mais tipos de inovações conseguirmos incorporar, maior a proteção e robustez do modelo de negócios criado. Uma ferramenta importante para fazer essa avaliação pode ser o Innovation Storming.

Leia também: Como é trabalhar com inovação em uma grande empresa?

3. Conecte os pontos
De acordo com pesquisa realizada pelos professores Clay Christensen, Hal Gregersen e Jeff Dyer, uma das principais características que separam uma pessoa criativa das outras é a habilidade de associação entre diferentes situações, problemas e ideias de campos até mesmo não relacionados. Essa busca por combinar experiências e visões de campos distintos colaborou bastante na capacidade de inovar de Jobs, por exemplo, e ele fala exatamente disso neste discurso.

4. Forme equipes de alto nível
O impacto das contratações iniciais em uma startup é muito grande no futuro do negócio, especialmente na cultura organizacional que está se formando. Contratar as pessoas erradas no começo pode impactar negativamente nos valores desejados pelos empreendedores. Bezos dizia que se você contratasse tubarões, não se podia esperar que eles agissem como golfinhos. O processo de recrutamento para montar uma estrutura organizacional coerente com a cultura era fundamental. Era preferível entrevistar 50 pessoas e não contratar ninguém do que contratar a pessoa com o perfil errado.

5. Facilite a colaboração e o trabalho em equipe
Apesar do senso comum acreditar que as inovações da Apple eram fruto do trabalho solitário de Steve Jobs, sendo ele responsável sozinho por todos os desenvolvimento, na realidade os grandes projetos foram fruto de um grande trabalho em equipe, em que ele atuava direcionando as pessoas com sua visão e, em alguns momentos, se envolvendo até nos pequenos detalhes.

6. Fomente uma cultura incomparável
A concorrência não consegue copiar a cultura – esse é um dos mantras gerenciais de Bezos. Para ele, a cultura organizacional é um ativo importantíssimo para garantir liderança nos mercados em que atua, replicando o “jeito Amazon” de fazer negócios. Alguns elementos importantes dessa cultura única estão na obsessão pelos clientes, a frugalidade na operação e a constante busca por inovações de todas as naturezas.

7. Coloque as pessoas certas para fazer as coisas certas
Com o crescimento do Facebook, Zuckerberg, com apenas 23 anos, teve que buscar uma pessoa que pudesse fazer melhor que ele algumas atividades importantes. Para ele, “alguém que é excepcional em sua função não é apenas um pouco melhor do que alguém que é muito bom. Ele é 100 vezes melhor”. Sandberg na época era vice-presidente de vendas online globais e operação no Google e foi pescado porque tinha a experiência necessária para transformar o negócio de publicidade do Facebook em algo realmente grande.

8. Mantenha o motor da inovação ligado
Jeff Bezos dizia que: ”minha visão é que não há momento ruim para inovar. Você deve inovar nos bons e maus momentos – e você deve fazer isso em coisas que o seu cliente valorize”. Essa é a postura dos inovadores: a busca constante por inovações para manter o negócio atualizado.

9. Tenha senso de urgência e execução
A “mentalidade hacker”, termo que Zuckerberg utilizou na carta aos acionistas no lançamento das ações, é um mantra da forma como ele as outras pessoas trabalham no Facebook. Mover-se rápido, com alta produtividade, e “quebrar” coisas resume a prática de trabalho desejada e tem sido fundamental para o sucesso da empresa.

10. Comunique a inovação
Normalmente, em sua apresentações de lançamento de novos produtos, Jobs escolhia um vilão para mostrar aos presentes que suas inovações eram os mocinhos. No iPhone, foram os smartphones com teclados fixos. No lançamento do iPad, o papel ficou por conta dos netbooks. Em cima das fragilidades dos concorrentes, ele apresentava seus diferenciais. Havia um cuidado muito grande para mostrar tudo de novo que os produtos e serviços traziam e fazer isso chegar aos ouvidos dos clientes o mais rapidamente possível.

Felipe Scherer, para , em 08.06.2015
Este artigo foi originalmente publicado em Endeavor. Quem tiver interesse em conhecer mais, pode baixar gratuitamente o 1º capítulo do livro O Time dos Sonhos da Inovação nesse link.

Monday, June 08, 2015

Domínio do Google é abusivo, diz comissária de competição da UE

A dinamarquesa Margrethe Vestager, 47, acusa o Google de lesar a concorrência na Europa para privilegiar seus produtos no serviço de pesquisa e investiga a atuação da empresa em outros setores, como o incentivo ao uso do sistema operacional Android.
Ela deixou o cargo de ministra da Economia do seu país no segundo semestre de 2014 para ser comissária de competição da União Europeia, que reúne 28 membros. Vestager anunciou no dia 15 de abril uma acusação formal que pode levar a UE a multar o gigante da tecnologia em € 6 bilhões, estimativa de 10% da receita anual.
A revista "Time" a chamou de "o pior pesadelo do Google" e de "dama de ferro" do bloco europeu. Vestager recebeu a Folha em seu gabinete em Bruxelas, na semana passada, para uma entrevista.
"O Google usa sua posição dominante para promover seus próprios serviços e tornar mercados viáveis", afirmou, sobre o privilégio, segundo ela, dado aos produtos do Google Shopping pelo serviço de busca da empresa.
O Google recebeu um prazo de dez semanas para responder ao "comunicado de objeções", antes de a União Europeia tomar uma decisão. O Google nega a acusação. Em um memorando interno, a empresa americana classificou de "decepcionante" a ação de Vestager e considerou o caso "muito forte".
Vestager não quis comentar sobre a atuação do Google para garantir o "direito ao esquecimento", reconhecido pelo Tribunal de Justiça da União Europeia. Também não quis falar sobre a relação entre a empresa americana e os jornais. A comissária afirmou que comenta somente os casos que estão em sua pasta.

Folha - A sra. concorda que virou um pesadelo para o Google?
Margrethe Vestager - Estou tentando fazer meu trabalho. Para mim, tem sido uma grande transição de quem vem da política. Quero fazer algo baseado em fatos, evidências, sendo que estamos acostumados a ser legisladores, não aplicadores da lei. Trabalho em cima dos valores de nossa sociedade europeia, que deve ser aberta, com uma competição justa e a melhor escolha para cidadãos e consumidores.

Qual o impacto das práticas investigadas para as pessoas?
O Google é muito bem-sucedido e dominante na Europa em termos de pesquisa e tem usado essa posição para promover seus próprios serviços e tornar mercados viáveis. Se você faz uma busca por compras, o Google Shopping vai sempre aparecer em primeiro na resposta.

Às vezes, isso pode ser bom, mas, em outros casos, a resposta deveria ser outra e isso não é oferecido. Como uma empresa vai tentar ser melhor, oferecer algo novo?
A preocupação é que há um risco para nós, como consumidores, de sermos privados de inovações, de novos desenvolvimentos do mercado.

Ser dominante não é consequência da livre competição?
É justo poder crescer. Se eu perguntar às minhas filhas por que usam o Google, vão responder: "Ah, mãe, é o melhor". E isso não é porque é uma empresa norte-americana, seja lá o que for. Estão se tornando dominantes porque têm feito um bom trabalho. No entanto, isso não permite fazer algo que não seja competitivo, meritocrático, que não foi escolhido pelos consumidores.

Não é natural que uma empresa privada como o Google coloque seu produto na frente numa pesquisa?
Você pode ser dominante, bem-sucedido. Todo o mundo, incluindo a mim, vai lhe parabenizar. Mas você não pode abusar dessa posição para tornar viável um mercado em que não é dominante (como o de compras) e não foi bem-sucedido. Afinal, os consumidores não estão escolhendo você pelos seus próprios méritos, mas apenas porque você se colocou na cara deles por ser dominante.

Há outras investigações em curso contra o Google?
O comunicado de objeções diz respeito ao Google Shopping, mas não significa que é tudo o que estamos fazendo sobre a empresa. Em paralelo, temos várias questões. Uma delas é o que chamamos de "scraping", a cópia de certa parte de conteúdo, tirando de uma página e colocando na sua. Temos também questões sobre propaganda. É muito difícil para uma empresa fazer propaganda em outra que não seja o Google.
Uma das preocupações que temos ainda é que o Google está fortemente incentivando fabricantes a produzir equipamentos com o Android, e, portanto, fechando o mercado e dificultando o surgimento de novos sistemas operacionais. Nos Estados Unidos, fala-se até em conspiração na UE pelo fato de o alvo ser uma empresa americana. Obviamente, não concordo. Levei as acusações a sério, porque é ruim se a aplicação do direito à concorrência for usada de maneira política. Definitivamente, não é nosso objetivo. Nosso trabalho é guiado por escolhas, consumidores, inovações.
Um dos fatos que nos suportam no caso Google é o grande número de reclamações de outras empresas norte-americanas. Eu uso o Google, não tenho nada contra como empresa, mas o problema é sua conduta, seu comportamento.

A sra. realmente acredita que é possível controlar esse tipo de domínio na internet?
Acho que podemos fazer isso na Europa se queremos uma economia justa. Nós temos sistema político, regulação, legislação. Seja grande ou pequeno, tem de atuar de acordo com as mesmas regras, com o que está escrito, não importa a sua bandeira. Se temos um jogo e você é grande, é mais fácil competir do que quem é pequeno. Mas às vezes o pequeno é capaz de fazer coisas que o grande tem esquecido.

Como ser competitivo hoje na internet sem ser uma grande empresa?
Todas essas empresas provavelmente já foram pequenas. Quando começaram, não tinham cem anos de história e eram pequenas até pouco tempo atrás. O Skype começou pequeno, por exemplo. Você tem uma ideia, faz um software, as pessoas gostam e você cresce. Nosso trabalho é manter o mercado aberto. Se não garantir isso, não haverá chance de alguém crescer.
Os russos acusam a sra. de tomar uma ação política contra o governo de Vladimir Putin no caso da Gazprom.
As reclamações contra a Gazprom vêm desde 2011 e uma investigação foi aberta em 2012, antes de vir à tona essa agenda política da Rússia. É novamente um caso importante sobre o nosso mercado único, da UE, para mantê-lo aberto e competitivo. Para nós, o mercado único tem criado empregos, oportunidades, e, portanto, o uso dele tem de ser competitivo e justo, com esse propósito, e não para fins políticos, senão tira a legitimidade.

Como tem sido sua relação com o Google e o que pode ocorrer?
É uma relação profissional. Eles podem não concordar conosco, mas temos ainda que ter uma relação. Não tomaremos nenhuma decisão antes de receber as respostas. Nesse tipo de caso, há diferentes caminhos a tomar. Um é negociar compromissos. Se não for possível, uma decisão a ser tomada pela comissão é impor a multa.

O que diria para autoridades de outros continentes sobre essa experiência?
Isso depende muito da situação do mercado. A razão para nós é que aqui o Google é muito dominante, há áreas em que tem 90%, 95% de domínio de pesquisa. E não é muito diferente no Canadá, nos EUA, mas não tenho muita ideia de como seja no Brasil ou na Argentina. O desafio da globalização é impositivo e o número de agências de aplicação de direito à concorrência tem crescido.

RAIO-X
País: Dinamarca
Cargo: Comissária de competição da União Europeia desde 1º de novembro de 2014
Filiação: Partido Social Liberal (centro-esquerda)
Formação: economista
Atuação no seu país: ministra da Educação, vice primeira ministra e ministra da Economia e do Interior


LEANDRO COLON ENVIADO ESPECIAL A BRUXELAS
08/06/2015  02h00