Saturday, August 15, 2015

As 50 perguntas mais feitas em entrevistas de empregos. Você teria todas as respostas ?

O site americano Glassdoor “garimpou” entre as dezenas de milhares de resenhas de usuários sobre entrevistas de emprego as perguntas mais frequentes feitas recentemente.

O resultado é esta lista de 50 perguntas. Entre questões óbvias e perguntas mais inusitadas, confira o que os recrutadores têm perguntado aos candidatos:

1. Quais são os seus pontos fortes?
2. Quais são os seus pontos fracos?
3. Por que você está interessado em trabalhar para esta empresa?
4. Onde você se vê em cinco anos? E em 10?
5. Por que você quer deixar o seu emprego atual?
6. Por que há uma lacuna na sua trajetória profissional entre (data) e (data)?
7. O que só você pode nos oferecer?
8. Cite três pontos em que seu ex-chefe gostaria que você melhorasse.
9. Você busca uma recolocação no mercado?
10. Você tem planos de viajar?
11. Conte sobre a realização de carreira da qual mais se orgulha.
12. Conte sobre alguma vez em que você tenha cometido um erro.
13. Qual o seu emprego dos sonhos?
14. Como você ficou sabendo desta vaga?
15. O que você espera realizar nos primeiros 30 dias, 60 dias e 90 dias de trabalho?
16. Fale um pouco sobre o seu currículo.
17. Fale um pouco sobre sua formação acadêmica.
18. Descreva-se.
19. Conte-me como lidou com uma situação difícil.
20. Por que deveríamos contratá-lo?
21. Por que você está procurando um novo emprego?
22. Você trabalharia em fins de semana e feriados?
23. Como você lidaria com um cliente bravo?
24. Qual a sua pretensão salarial?
25. Conte-me sobre alguma vez em que foi além e também abaixo do que era esperado para um projeto.
26. Quem são seus concorrentes?
27. Qual o seu maior fracasso?
28. O que te motiva?
29. Qual a sua disponibilidade?
30. Quem é o seu mentor?
31. Conte-me sobre alguma vez em que discordou do seu chefe.
32. Como você lida com a pressão?
33. Qual o nome do seu CEO?
34. Quais as suas metas de carreira?
35. O que o motiva para se levantar todos os dias?
36. Quais eram os pontos fortes e fracos dos seus chefes?
37. O que as pessoas que se reportam diretamente a você diriam sobre você?
38. Se eu ligasse agora para o seu chefe e perguntasse em quais pontos você precisa melhorar o que ele diria?
39. Você é um líder ou um seguidor?
40. Qual o último livro que você leu por diversão?
41. Quais são os hábitos irritantes dos seus colegas?
42. Quais são os seus hobbies?
43. Qual o seu site favorito?
44. O que o deixa desconfortável?
45. Quais foram as suas experiências de liderança
46. Como você demitiria alguém?
47. O que você mais gosta e o que menos gosta de trabalhar neste setor?
48. Você trabalharia 40 horas ou mais por semana?
49. Quais perguntas eu não fiz para você?
50. Quais perguntas você quer fazer para mim?

Sunday, August 09, 2015

10 passos para fazer um TCC com qualidade

Após passar bons anos cursando uma graduação, os estudantes têm um último desafio antes de pegar o diploma e se despedir da vida universitária: o Trabalho de Conclusão de Curso. Vê-lo pronto é motivo de imenso orgulho, mas quem já fez um TCC sabe que, até o dia de sua entrega e apresentação, há vários perrengues a serem superados.

Se você está a poucos meses de começar o seu Trabalho de Conclusão de Curso, não se desespere! Preparamos um passo-a-passo com 10 dicas para você fazer um projeto de qualidade e arrancar nada menos do que um dez (com louvor!) da banca julgadora. Confira!

1. INFORME-SE
Os formatos de TCC variam de acordo com o curso de graduação e também com as universidades. Seu trabalho pode ser uma monografia, um estudo de caso ou até mesmo um projeto experimental. Informe-se com professores e ex-alunos sobre todas as possibilidades que o seu curso te oferece e escolha o tipo de trabalho que mais combina com você.

2. PROGRAME-SE
A realização de um TCC passa por várias etapas, que vão desde a escolha do tema do projeto até sua apresentação final. Para não se perder no meio de tantas obrigações, faça um cronograma e divida as tarefas mês a mês. Assim será muito mais fácil identificar a evolução do seu trabalho – e, claro, administrar seu tempo.

3. ESCOLHA SEU ORIENTADOR COM CARINHO
Na hora de elegermos o professor que vai nos orientar no Trabalho de Conclusão de Curso, é normal tendermos a escolher os educadores com quem mais simpatizamos ao longo da faculdade. Afinidade, no entanto, não pode ser seu único critério de escolha. Novamente, converse com ex-alunos para saber quais são os professores que dão maior suporte aos estudantes, que são famosos por estimular a criatividade de seus orientandos e agregar ao trabalho, em vez de só acompanhá-lo. Além disso, é fundamental optar por um orientador que domine o tema ou o formato de TCC que você escolheu fazer.

4. ACERTE NA ESCOLHA DOS COMPANHEIROS DE TRABALHO
Amigos, amigos, TCC à parte. Se a universidade permite que o Trabalho de Conclusão de Curso seja feito em duplas ou grupos e você acredita que esta seja a melhor opção para o seu projeto, escolha bons companheiros de trabalho. Nada de usar o grau de amizade como critério de decisão. O ideal é optar por pessoas que tenham habilidades complementares às suas. Se você é bom de pesquisa, por exemplo, mas deixa um pouco a desejar na hora de colocar suas ideias no papel, escolha alguém que manje de redação. Vocês, certamente, vão fazer uma boa dupla!

5. OPTE POR UM TEMA QUE VOCÊ GOSTA
O tempo de duração de um TCC também varia de acordo com a universidade e o curso de graduação. No entanto, é fato: pelo menos durante seis meses da sua vida você vai trabalhar, diariamente, em cima desse projeto. Por isso, é primordial que escolha um tema que te empolgue.

6. LEIA MUITO
Pode ser a parte menos divertida do trabalho, mas uma rica fundamentação teórica é fundamental para fazer um bom TCC. Leia muito sobre o assunto do seu projeto, procure referências nacionais e internacionais e pesquise, na biblioteca da sua universidade, outros trabalhos sobre o mesmo tema. Quanto mais você dominar o assunto, melhor se sairá na elaboração do projeto e em sua apresentação.

7. VALORIZE AS NORMAS DA ABNT
Informar-se sobre o tema do seu projeto é tão importante quanto saber mais sobre a forma como ele deve ser apresentado. Entre as leituras fundamentais para os estudantes que estão fazendo um TCC está a das normas da ABNT. Entenda todas as regras que devem ser aplicadas no trabalho e comece a usá-las desde o começo. Desta forma, é possível evitar muito stress na hora da formatação final do projeto.

8. SEJA AUTORAL
Essa dica parece óbvia, mas na hora do desespero (ou por pura preguiça mesmo) muita gente acaba encomendando trabalhos prontos ou copiando trechos de outros projetos que encontra durante suas pesquisas. Não caia nessa cilada! Plagiar é antiético e as chances de ser pego pela universidade são grandes. No fim, você só tem a perder! Se gostou muito de algo que leu em um trabalho alheio, use no seu projeto, mas cite a fonte.

9. ENSAIE
A apresentação é a última etapa do TCC – e também a mais decisiva. É a hora derradeira para o orientando provar à banca de jurados que sabe do que está falando. Por isso, ensaie muito para esse dia – sozinho e na presença de terceiros, como amigos e familiares. Se achar que pessoas conhecidas vão te trazer mais segurança na apresentação, convide-as para assistir à banca. Se, ao contrário, achar que podem te deixar mais nervoso, explique seus motivos e peça para que fiquem em casa, torcendo de longe.

10. PENSE COMO PROFISSIONAL
O TCC não deve ser visto, apenas, como um trabalho para garantir o diploma da faculdade. Encare-o como um projeto profissional, que pode enriquecer seu portfólio e, até mesmo, ser levado adiante depois que você se formar. Não desperdice essa chance!

Postado por: Débora Spitzcovsky
*Entrevista de Edgard Matsuki e curadoria dos professores Rachel Polito e Pedro Demo

Friday, July 24, 2015

20 Coisas que deves parar de fazer a ti mesmo imediatamente

Tal como Maria Robinson disse uma vez, “Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas qualquer um pode recomeçar hoje e fazer um novo fim.” Nada pode estar mais próximo da verdade do que isto.

Mas antes que comeces este processo de transformação pessoal e profissional, tens que parar de fazer todas as coisas que te têm andado a atrasar.

Aqui ficam algumas ideias para te ajudar a começar:

1. Pára de desperdiçar o teu tempo com as pessoas erradas
A vida é curta demais para gastares o teu tempo com pessoas que sugam a tua felicidade. Se alguém te quiser na sua vida, eles vão arranjar espaço para ti. Não deves ter que lutar por um lugar.

Nunca insistas em alguém que continua a desvalorizar os teus esforços.

Lembra-te, não são as pessoas que estão ao teu lado quanto estás no teu melhor, mas aquelas que ficam contigo quando estás no teu pior; esses sim, são os teus verdadeiros amigos.

2. Pára de fugir dos teus problemas
Enfrenta-os de cabeça. Não, não será nada fácil. Não existe nenhuma pessoa no mundo capaz de aguentar todos os murros que a vida lhe dá.

Na verdade, fomos feitos para ficar tristes, desmotivados, magoados, tropeçarmos e cairmos. Porque essa é a verdadeira essência da vida – enfrentar problemas, aprender, adaptar e resolvê-los ao longo do tempo. Isso será o que nos irá moldar na pessoa que um dia seremos.

3. Pára de mentir a ti mesmo
Podes mentir a qualquer pessoa no mundo, mas não podes mentir a ti mesmo.

Tudo fica mais fácil quando aceitamos a situação em que estamos, sem ilusões e sem acreditar que algo é de uma forma quando tu próprio sabes que não é. Procura ser um pessoa mais honesta com ela própria!

4. Pára de colocar as tuas necessidades em segundo plano
Não há nada mais doloroso do que te perderes durante o processo de amares alguém, e esqueceres que tu também és especial. Sim, ajuda outros; mas ajuda-te a ti próprio.

Se existe um momento para seguires a tua paixão e fazeres algo de significante para ti, esse momento é agora!

5. Pára de tentar ser uma pessoa que não és
Um dos maiores desafios na vida é tentares ser tu próprio num mundo que está sempre a tentar que seja como qualquer outro. Alguém será sempre mais bonito, alguém será sempre mais inteligente, alguém será sempre mais novo, mas esse alguém nunca será como TU.

Não mudes para que as pessoas gostem de ti. Sê tu próprio e as pessoas certas vão adorar o teu verdadeiro eu.

6. Pára de ter medo de cometer erros
Fazer alguma coisa e falhar é pelo menos dez vezes mais produtivo do que não fazer nada. Cada sucesso tem um imenso historial de erros por trás, e cada um deles aproxima-te cada vez mais do sucesso. Tu irás acabar por te arrepender MUITO MAIS das coisas que não fizeste do que das coisas que acabaste por fazer.

Todos cometemos erros, temos problemas e arrependemos-nos de coisas no nosso passado. Mas tu não és os teus erros, não és os teus problemas, e tu estás aqui AGORA com o poder de moldares o teu dia e o teu futuro.

7. Pára de pensar que não estás pronto
Nunca ninguém se sente 100% preparado quando uma oportunidade aparece. Isto porque as melhores oportunidades na vida fazem com que tenhamos que crescer para além da nossa zona de conforto, o que significa que não nos vamos sentir confortáveis no início.

8. Pára de te envolveres em relacionamentos pelos motivos errados
Os relacionamentos devem ser escolhidos convenientemente. É melhor ficares sozinho do que em má companhia.

Não precisas de te apressar. Se algo estiver destinado a acontecer, vai acontecer – na altura certa, com a pessoa certa, e pela razão certa. Apaixona-te quando estiveres pronta, não quando estiveres sozinha.

9. Pára de tentar competir com todas as pessoas
Não te preocupes com o que os outros possam estar a fazer melhor que tu. Concentra-te em bateres os teus próprios recordes todos os dias. O sucesso é uma batalha entre ti e os teus resultados.

10. Pára de reclamar e sentir pena de ti mesmo
A vida dá-te vários desafios por uma razão – para mudar o teu rumo na direcção certa para ti. Podes não ver ou perceber no momento em que acontece, e pode até ser bastante duro, mas reflecte um pouco sobre os difíceis desafios que já tiveste. Vais reparar que isso te levou a lugares melhores, pessoas melhores, situações melhores.

Por isso, SORRI! Deixa que todos saibam que hoje estás muito mais forte do que estavas ontem, e amanhã estarás ainda melhor.

11. Pára de guardar rancor
Não vivas a tua vida com ódio no coração. Vais acabar por te magoares muito mais do que às pessoas que odeias.

Perdoar não é dizer, “o que me fizeste está ok”. É dizer, “Eu não vou deixar que o que me fizeste arruíne a minha felicidade para sempre”. Perdoar é a resposta… deixa passar, encontra paz, liberta-te!

12. Pára de perder tempo a dares explicações aos outros
Os teus amigos não vão precisar e os teus inimigos não vão acreditar de qualquer maneira. Faz aquilo que achas que é certo no teu coração.

13. Pára de negligenciar os pequenos momentos
Aproveita as melhores coisas na vida, porque um dia podes olhar para trás e veres que elas eram as coisas maiores.

A grande parte da tua vida serão os momentos pequeno em que passas a sorrir com alguém que é importante para ti. E isso é maravilhoso.

14. Pára de seguir o caminho mais fácil
A vida não é fácil, especialmente quando pensas em conseguir algo significativo. Não escolhas a saída mais fácil, faz algo extraordinário. A recompensa será muito maior.

15. Pára de fingir que está tudo bem quando não está
Nem sempre tens que fingir que és forte, e não há necessidade de provares constantemente que tudo te corre bem.

Não te deves preocupar com o que as outras pessoas vão pensar. Chora, se precisares; é saudável e quanto mais cedo fores capaz de fazer isso, mais cedo serás capaz de voltar a sorrir novamente.

16. Pára de culpar os outros pelos teus problemas
A medida em que podes realizar os teus sonhos depende da medida em que estás disposto a assumir a responsabilidade pela tua vida.

Quando culpas outros por aquilo que estás a passar, tu negas responsabilidades – dás poder aos outros sobre essa parte da tua vida. Assume responsabilidades e toma o controlo!

17. Pára de tentar ser tudo para todos
Conseguir fazê-lo é impossível, e tentar apenas te irá desgastar. Mas fazer uma só pessoa sorrir PODE mudar o mundo. Talvez não o mundo todo, mas o mundo dessa pessoa. Por isso estreita o teu foco!

18. Pára de te preocupares tanto
A preocupação não vai afastar os problemas de amanhã, vai sim remover a tua alegria de hoje.

Uma forma de veres se algo vale a pena que fiques a remoer no assunto, é perguntares a ti próprio: “Isto irá afectar-me daqui a um ano? Daqui a três? Cinco anos?”. Se não, não vale a pena a preocupação.

19. Pára de te concentrares no que não queres que aconteça
Concentra-te no que queres que aconteça. Pensamentos positivos estão na base de qualquer história de sucesso.

Se acordares todos os dias com a ideia de que algo extraordinário vai acontecer na tua vida hoje, e se prestares atenção, muitas vezes irás reparar que estás certo.

20. Pára de ser ingrato
Não importa o quanto bom ou mau tu estejas, acorda cada dia agradecido pela vida que tens. Outras pessoas em qualquer parte do mundo estão a lutar desesperadamente pela sua.

Em vez de pensares no que te falta, começa a pensar no que tu tens e que faz falta aos outros.

Creio que essa maravilhosa lista se encaixa na vida de todas as pessoas, ou na grande maioria delas. Partilha, passa isso adiante e contribua para uma melhoria pessoal na vida de alguém.

Marta RochaMarta Rocha

Saturday, July 18, 2015

7 maneiras inovadoras de como melhorar a memória

Anda se sentindo esquecido? Na hora da prova dá aquele branco? E quando você abre o armário e não lembra o que ia pegar ali? Se você se encaixa em alguma dessas situações, vai gostar destas dicas para melhorar sua memória.

O que acontece é que nossa memória, de vez em quando, prega peças em nós, não é mesmo? Enquanto algumas vezes é difícil lembrar o que almoçou ontem, em outras músicas antigas tocam no rádio e na mesma hora a letra já está na ponta da língua.

Por que isso acontece?

A razão para qual algumas coisas serem memorizadas e outras esquecidas, está ligada ao método que o cérebro usa para assimilar a importância das informações e codificá-las corretamente. Mas existem informações que se perdem no caminho.

Com a idade, passamos a ser um pouco mais esquecidos — depois dos 45 anos, há uma queda considerável na habilidade de memorização. Pesquisas descobriram que, enquanto dormimos, nossas memórias são consolidadas e guardadas. Se você dorme poucas horas por noite, provavelmente esquecerá mais facilmente.

A Fast Company listou sete maneiras surpreendentes de dar aquela impulsionada na sua memória, e ajudar até mesmo na hora de fazer uma prova. Olha só:

Sente-se corretamente
Sabia que a maneira como você senta e levanta pode afetar sua memória? Pesquisadores da Universidade de São Francisco descobriram que sentar e levantar corretamente e inclinar o seu queixo para frente torna mais fácil o processo de recordar memórias. Isso porque, dessa maneira, você aumenta o fluxo de oxigênio e sangue no cérebro em até 40%. Por outro lado, ter a postura envergada, faz você relembrar coisas negativas com facilidade.

Boa postura ao caminhar também pode afetar a memória. Em um estudo da Universidade Witten/Herdecke da Alemanha, pesquisadores descobriam que pacientes que andam corretamente têm facilidade em lembrar de coisas boas, enquanto quem caminha com os ombros caídos lembram de coisas negativas.

Feche seus olhos
Testemunhas de crimes podem se lembrar de mais detalhes quando fecham os olhos, de acordo com um estudo recente da Universidade de Surrey. Os participantes recordaram melhor os sons e detalhes visuais quando responderam as questões com os olhos fechados.  Eles ajudam porque removem distrações, disse o líder da pesquisa Robert Nash à BBC News. “Fechar seus olhos pode ajudar a visualizar mais detalhes do evento, mas mantê-los fechados ajuda a focar nas lembranças de sons também.”

Evite trocar de ambiente
Se você sai da sala para buscar algo e esquece o que está procurando, você passou pelo “efeito atravessar portas”. Um estudo da Universidade de Notre Dame revelou que o simples ato de atravessar uma porta causa o esquecimento na pessoa. Pesquisadores acreditam que as memórias de curta validade são removidas quando você tem novos pensamentos. Atravessar uma porta serve de catalisador para esconder pensamentos do cérebro e apresentar novos detalhes quando você muda de ambiente. Isso explica o porquê de você imediatamente se lembrar o que estava buscando quando retorna ao local onde estava.

Use tipografias (fontes de letras) diferentes
Escrever algo com uma tipografia diferente pode ajudá-lo a se lembrar do conteúdo. Psicologistas da Universidade de Princeton e da Universidade de Indiana observaram estudantes com materiais em duas diferentes fontes: uma tradicional, como Arial, e outra escolha pouco comum, como a Monotype Corsiva. Os estudantes que usaram o material com tipografias incomuns tiveram resultados melhores.

Fontes não familiares nos faz pensar mais profundidade sobre o material, disse o co-autor do estudo, Daniel M. Oppenheimer, ao New York Times. “Pensando dessa maneira, você pode pegar um material de difícil leitura e redigí-lo com uma fonte incomum e assim vai se forçar a ler mais cuidadosamente”, afirmou.

Assista a séries de comédia
Rir por 20 minutos pode impulsionar a sua memória. Pesquisadores da Universidade de Loma Linda estudaram dois grupos de adultos. O primeiro grupo assistou a um vídeo de humor de 20 minutos, enquanto o outro grupo esperou quieto. Depois disso, os participantes responderam a um teste de memória e o grupo que assistiu ao vídeo fez mais pontos.

Situações de estresse liberam o hormônio cortisol que tem um impacto negativo à sua memória, enquanto rir libera endorfina que reduz o estresse. Endorfina também diminui a pressão arterial e melhora o humor — uma combinação que resulta em uma memória melhor.

Masque chicletes
Se você está indo a uma longa reunião ou seminário, você pode levar um pacote de chicletes. Pesquisadores da Universidade de Cardiff no País de Gales descobriram que o ato de mascar chicletes resulta em melhor concentração e memória.

Em um experimento com dois grupos — um que mascou chicletes e outro que não mascou — os participantes que não mascavam foram um pouco melhor no início, mas no fim tiveram uma queda no desempenho. “Isso sugere que mascar chiclete ajuda a manter o foco nas tarefas mesmo depois de um longo tempo”, disse Kate Morgan, autor do estudo.

Anote com caneta e papel
Mesmo podendo anotar detalhes no computador ou smatphone, prefira o método “old school” e use caneta e papel. Pesquisadores da Universidade de Princeton e UCLA descobriram que quando os estudantes anotam coisas no papel em vez de usarem computadores, eles prestam mais atenção aos detalhes. O ato de escrever ajuda a identificar importantes conceitos e nos força a organizar o material na mente antes de anotá-lo.

Será que você vai lembrar de tudo isso? Treine e impulsione sua memória, e não será problema.

por: Carolina Pignatari Em: Estudantes

Thursday, July 02, 2015

10 dicas para a elaboração do Plano de Aula

Preparar um plano de aula eficaz requer experiência e dedicação. Seguem 10 dicas que podem auxiliar os professores a elaborarem um plano de aula de acordo com os seus objetivos.

1. Por que isso é importante?

Quando você pretende ensinar alguma coisa essa é a primeira pergunta que você deve se fazer. Você deve estar pronto para responder a essa pergunta a qualquer momento, inclusive, durante a aula.

2. Qual o meu objetivo para os estudantes? O que eles devem ser capazes de fazer ao fim deste conteúdo?

Uma boa maneira de entender se um tema é ou não fundamental é planejá-lo criando objetivos para os seus estudantes, ou seja, o que você espera que eles sejam capazes de fazer ao fim daquela discussão. Compartilhe esses objetivos com os estudantes, isso é fundamental para que vocês estejam alinhados e para que eles conheçam as habilidades mais importantes.

3. Como o tema se encaixa no currículo geral?

Para criar uma aula significativa é fundamental que você conheça todas as maneiras de encaixar o conteúdo no currículo geral do estudante. Não se apegue apenas à sua matéria, vá além e identifique como o assunto tratado na sua sala de aula pode se relacionar com outras disciplinas, isso tende a incentivar os estudantes.

4. O que os estudantes já sabem sobre isso?

Procure entender como você pode ajudar os alunos a desenvolverem o conhecimento prévio sobre o assunto a ser tratado. Antes mesmo de começar a ensinar coisas novas, procure saber o que os seus alunos já sabem sobre aquilo e, a partir daí, comece a trabalhar para incrementar esse conhecimento.

5. Como eu posso despertar o interesse dos alunos?

O início de um capítulo ou unidade é o que vai garantir que os seus estudantes mantenham ou não o interesse naquilo que você está dizendo, portanto, você precisa chamar a atenção deles logo de cara. Uma boa maneira de fazer isso é procurar conexões entre o que está sendo estudado, a cultura geral e a vida do estudante. Outra opção é criar situações nas quais eles teriam de usar o que está sendo aprendido de forma prática.

6. Como eu posso apresentar esse material?

Pense em como aquele conteúdo pode ser melhor compreendido e não se mantenha preso a métodos tradicionais por medo de inovar. É fundamental que você pense nas maneiras como apresentará o conteúdo aos seus estudantes. Vá além do que o livro oferece, procure conteúdo agregado, como vídeos e apresentações, jogos e até mesmo seminários ou representações. Dessa maneira você poderá incentivar os estudantes em áreas além do que você está ensinando.

7. O que os estudantes farão durante as aulas?

Um bom plano de aulas deve prever diversas situações, inclusive o que os seus alunos farão durante as aulas. Os estudantes serão meros ouvintes ou participarão da aula de maneira ativa? Você proporá atividades práticas ou simplesmente apresentará o panorama do que está sendo tratado. Pensar no que acontecerá dentro de sala de aula é fundamental para criar atividades adequadas.

8. Como eu posso atender as necessidades de cada estudante?

Claro que toda a sala deve receber o mesmo conteúdo, mas você não pode deixar de lado as necessidades particulares de cada um dos seus estudantes. Essa problemática também deve aparecer no seu plano de aulas, ou seja, identifique quais são as principais dificuldades dos estudantes e pense em como resolvê-las. Uma boa dica é ficar atento ao tipo de aprendizado de cada um dos seus alunos.

9. Como eu posso ligar o conteúdo e a rotina dos estudantes?

Se você quer que sua aula seja significativa e relevante, faça com que o conteúdo abordado se aplique de maneira prática na vida dos estudantes. Descubra o que interessa a eles e trate de incluir suas descobertas no plano de aulas. Não se esqueça de que apenas você fazer essas conexões não é suficiente, ofereça a oportunidade de que seus estudantes também encontrem os pontos em comum.

10. Existe alguma tecnologia capaz de melhorar essa tarefa?

A vida dos estudantes basicamente gira em torno da tecnologia, com as redes sociais, pesquisas online e até mesmo grupos de estudo via Internet. Portanto, se você quer realmente chamar a atenção deles, o melhor é fazer isso no meio onde eles mais têm prática. Descubra ferramentas capazes de engajar os estudantes em experiências de aprendizado e dessa maneira eles estarão cada vez mais interessados em praticar o que você ensina.

Fonte: http://carolineluvizotto.wordpress.com

Friday, June 26, 2015

5 dicas para você conciliar trabalho e estudo

A transição da adolescência para fase adulta vem carregada de um turbilhão de emoções e responsabilidades. E se você já trabalha e sabe da importância de uma boa nota nas provas, o melhor a fazer é criar estratégias para vencer todos esses obstáculos e alcançar um resultado satisfatório ao final.

Concentração
O uso de redes sociais facilita o contato com amigos de longa data, atualiza os usuários sobre as noticias do mundo, e também acaba com o poder de concentração de quem tem outras atividades a realizar. Esqueça o celular, não abra o Facebook durante as rodadas de estudo, desligue a mente dos problemas profissionais e pessoais e foque nos estudos para absorver o máximo de conteúdo possível.

Tecnologia como aliada
Se qualquer matéria não ficou clara para você, é possível utilizar Youtube para assistir aulas com diferentes abordagens. Além disso, você pode filmar aulas, caso faça cursinho, e assisti-las em casa depois com mais calma e atenção.

Assista a noticiários, saiba o que está acontecendo no mundo, pois qualquer informação é recurso para compor uma redação coesa e coerente.

Organize grupos de estudo
A união faz a força! Chame seus amigos, organize rodadas de estudo em bibliotecas, aproveite o ambiente propício e esclareça todas as dúvidas que surgirem.

Além de tudo isso, existe material disponível para sanar todos os questionamentos, além de reviver o passado, folhear um bom livro sempre remete a boas sensações, e se você não for dos que usam livros físicos, as bibliotecas disponibilizam computadores para uso, ou então wifi para uso de seu próprio computador.

E a desculpa não é o lugar, grupos de estudo podem ser formados em casa, na praça perto de casa, o que importa é compartilhar conhecimento e multiplicar sabedoria.

Descanso
Permita-se dormir 8 horas por dia, os momentos de repouso são fundamentais para concluir essa maratona estressante.

Quando deitar, desligue o celular ou deixe-o no modo silencioso, evite responder mensagens instantâneas, e não caia no truque soneca, prolongando o sono e quebrando todo o ritmo. O melhor é acordar no primeiro toque, tomar um banho e se for o caso, aproveitar as propriedades da cafeína tomando um bom e revigorante café.

Organize seu tempo
O dia tem 24 horas, parece bastante, mas quando não há planejamento, é possível desperdiçar suas horas sem concluir nenhuma atividade com êxito. Programe os períodos de estudo, com intervalos a cada 2 horas, isso aumenta o rendimento, e finais de semana também são feitos para descansar, insira lazer em sua rotina para que não ocorra uma pane! Dedicação é fundamental, e saúde mais ainda!

Traçadas as diretrizes, agora é montar sua estratégia levando em conta suas particularidades.

Gisele Helena

Saturday, June 20, 2015

13 dicas para se concentrar na hora de estudar

Nosso cérebro é meio fanfarrão: na hora de pensar em estratégias para aquele jogo complicado de videogame ou de ler aquela revista que você adora, ele coopera facilmente. Mas quando é preciso sentar e estudar um pouco, parece não haver jeito de alcançar a concentração.

Isso fica ainda mais desesperador quando estamos em ano de vestibular e não temos tempo a perder. Para ajudar você nisso, segue 13 dicas para ajudar seu cérebro a se concentrar.

Não se contente em ler: escreva!
Segundo o professor e autor de livros com dicas para estudos Pierluigi Piazzi, é importante estudar escrevendo, e não só lendo. “Quem só lê perde a concentração. Quem escreve consegue entender o assunto e mantê-lo na mente”, explica ele.

Escreva à mão em vez de digitar
Pesquisas já mostraram que os alunos que fazem isso aprendem mais do que quem só digita. “Você tem movimentos totalmente distintos para escrever cada letra a mão, mas isso não existe quando você está digitando. Isso faz com que mais redes neurais sejam ativadas no processo da escrita”, diz o professor.

Como saber o que vale colocar no papel
Faça resumos, fichamentos e esquemas da matéria. Mas nada de ficar copiando todo o conteúdo dos livros. Para saber o que vale escrever, faça de conta que você está preparando uma cola para uma prova. Por ter pouco espaço e pouco tempo para consulta-la, é preciso ser conciso, mas ao mesmo tempo abordar os pontos principais. É disso que você precisa quando for estudar.

Revise a matéria que aprendeu em aula no mesmo dia
Além de evitar acumular matérias, estudar o conteúdo visto em sala de aula no mesmo dia fará com que seu cérebro entenda que aquilo é importante e o memorize.

Estude sozinho
Vamos combinar que, por mais legal que seja se reunir com os amigos para estudar, você acaba falando mais de outras coisas e as dúvidas permanecem. O professor Pierluigi é um grande defensor da ideia de que só se aprende mesmo no estudo solitário. “Estudar em grupo é útil se você for a pessoa que explica a matéria para os outros. Quem ouve não aproveita”, diz ele. A melhor dica para um bom estudo, aliás, e explicar a matéria para si mesmo.

Use as aulas para entender as matérias e tirar dúvidas
Um erro comum, segundo o professor Pierluigi, é fazer dois cursinhos para ter um maior numero de aulas – o que realmente vai fazer diferença no vestibular é o momento em que você estuda sozinho, não o número de aulas que pegou. Mas isso não significa que vale cabular ou dormir nas aulas: elas são importantes para entender a matéria e tirar dúvidas.

Desligue todos os aparelhos eletrônicos.
Na hora de estudar, nada de deixar o celular por perto avisando você de cada notificação no Facebook. E nem caia na tentação de abrir o Facebook só por “dois minutinhos”. Esses dois minutinhos sempre se estendem e acabam com toda a sua concentração. Reserve um tempinho do seu dia só para as redes sociais e faça isso virar rotina para que se acostume a checá-la apenas nesse tempo específico.

Estude em um local organizado e tranquilo
O resto da sua casa até pode ser uma bagunça, mas o local onde você costuma estudar precisa estar sempre organizado e silencioso. Ter muitas coisas espalhadas pode atrapalhar a sua concentração e há o risco de perder tempo procurando coisas que sumiram na bagunça.

Música? Só em línguas que você não entenda
Não é proibido estudar ouvindo música – há quem precise dela para se concentrar. Mas evite ouvir músicas em idiomas que você entenda – isso pode fazer com que você desvie sua atenção para a letra e esqueça a matéria.

Use marca-texto
Usar canetas coloridas e marca-texto para enfatizar os pontos principais é uma boa ajuda para manter o foco no que for importante, especialmente se você tem problemas mais sérios de déficit de atenção. Post-its também podem ser úteis.

Respeite seu tempo
Se você é mais produtivo de manhã, deixe para estudar as matérias mais difíceis nesse período. Quando sentir que a concentração não está rolando de jeito nenhum, faça uma pequena parada e depois volte. Manter intervalos regulares é fundamental – e a frequência vai depender do seu ritmo.

Tenha uma programação organizada, mas seja flexível
Use uma agenda ou quadro branco para organizar suas tarefas e respeite-a! Mas faça programações realistas para que você não se desanime. Definir que você vai estudar durante oito horas por dia se você tem várias outras atividades, por exemplo, não é algo razoável. E esteja aberto para mudanças, caso seja necessário.

Crie um pequeno ritual antes de estudar
Sempre que for mergulhar nos estudos, crie e respeite um ritualzinho antes. Pode ser um alongamento, pegar um copo de suco para deixar na sua mesa, ou que mais achar melhor. Com o tempo, seu cérebro vai entender que é hora dos estudos e ficará mais fácil se concentrar.

Postado por: Redação Em: Estudantes